O que esperar do novo livro de Pablo Madeira?

Oi pessoas, tudo bom?

Vocês já devem conhecer o Pablo Madeira, e se não conhecem, aqui tem resenhas de um dos outros livros do autor, clique aqui para ler ❤

15271949_200739693717888_5350706614963611917_o

Acontece que, em 2017 teremos livro fresquinho do autor, que dessa vez decidiu se aventurar pelo mundo da fantasia. Árion – O Reflexo de Um Outro Mundo promete te deixar preso da primeira à ultima pagina!

Recebi uma amostra do livro com os três primeiros capítulos, e pode acreditar que as expectativas subiram la no alto. Não quero contar muito porque espero resenhar o livro quando sair, mas…

Aqui vai alguns motivos esperar pelo livro:

1- O livro é narrado em terceira pessoa, e por isso, deve apresentar a visão de vários personagens. Ah, os beneficios da 3º pessoa!!

2- O mundo proposto, autores de fantasia tendem a criar seus mundos. Acredito que não será diferente em Árion, a porta para esse mundo é um espelho. O que mais poderemos esperar disso? Confesso que demoro para comprar a oferta de autores de fantasia, mas tenho trabalho nisso :p

3- Os personagens, três capítulos são muito pouco para conhecer. Mas meu palpite é que vem um triângulo amoroso por ai… E devo dizer que já tenho meu preferido!

4- Acompanhar o autor, se você já leu algo do Pablo vai notar logo na primeiras paginas o avanço que sua escrita teve. Eu gosto de acompanhar isso 😀

5- Sofrer, os ganchos dos capítulos estão incríveis! Eu li os três capitulos muito rápido e se tivesse o resto, já iria maratonar! Árion tem tudo para ser uma historia para te tirar desse mundo durante sua leitura ❤

 

O livro será lançado pela Xeque-Matte ainda esse ano, e é só seguir eles para ficar por dentro das novidades! Siga nosso instagram também, irei avisar por lá 😀

 

Até logo,

Vinícius Torres.

Brilho do sol – Roseli Magro

Oi gente, tudo bom? Há não muito tempo atrás a editora Xeque-Matte entrou em contato com o blog novamente cedendo sua primeira publicação para resenharmos. É lógico que aceitei, como já disse por aqui, a editora é um amorzinho ❤

 

Resultado de imagem para brilho do sol livro roseli magro

 

Título: Brilho do sol.
Autora: Roseli Magro.
Editora: Xeque-Matte (2017)  |  Adicione no Skoob!

 

Bom, Brilho do sol é o nome da cidade onde tudo se passa. E logo sabemos que a história a ser contada é a do menino João. No inicio do livro ele não passa de um bebê e vamos acompanhando as passagens de sua vida.
Acontece que, João é diferente, é um menino único e em meio a todo o caos e maldade que o entorna. Ele se mantém firme e com o coração repleto de amor.

 

O livro aborda muitos temas legais dos quais eu gostei muito. Além da fome e de todo o cenário nordestino, a trama dos personagens secundários é bem legal de acompanhar e se encaixa perfeitamente na trama. Vários momentos parei a leitura para pensar em como o mundo está, e o quão cruel ele é.

Bom, devo confessar também que a escrita da Roseli é “diferente” mas de maneira alguma isso deve soar como negativo. Pelo contrário, depois que você pegar o ritmo a história flui naturalmente e é daqui que saiu a impressão de que é como se a autora estivesse conversando contigo 😀

WhatsApp Image 2017-01-28 at 14.50.38.jpeg

A única ressalva que preciso fazer é que, na metade do livro em diante uma coisa me incomodou. Mas entendo que foi necessário pro rumo que a história estava tomando. O mal prevaleceu tanto, uma das personagens foi se mostrando tão suja que, na minha opinião, ultrapassou um pouco os limites da mensagem a ser passada. O mal existe, obvio, mas acredito que isso poderia ser passado com mais leveza e seguir o mesmo ritmo do resto da narrativa. Não é ponto negativo, lembre-se, só é algo que me deixou P* da vida (com a tal da Raimunda ahaha).

Ao tocar o livro, me lembrei imediatamente de Vidas Secas de Graciliano Ramos, e não fui o único a pensar isso. E consigo ver alguns traços de O pequeno príncipe também! (talvez eu esteja ficando louco).

 

Por fim, quero agradecer a editora pela cortesia e desejar todo o sucesso do mundo! Que vocês publiquem bons autores nacionais como a Roseli, a estréia de vocês não poderia ter sido melhor!
E para aqueles que ligam pra edição, desculpa esse não é o foco do blog, mas a edição ta linda e de qualidade..Vai na fé! ❤ .

 

Digo facilmente que Brilho do sol é como uma longa e boa conversa com Roseli Magro. Uma história repleta de mensagens e pensamentos. Lembrando que tem entrevista com a autora aqui no blog, não deixe de conferir aqui! 

 

Até logo,
XX, Vinícius Torres.

Tudo e todas as coisas – Nicola Yoon

Tudo e todas as coisas me conquistou de uma maneira indescritível, e tenho certeza de que o mesmo acontecerá com você!

Título: Tudo e todas as coisas.
Autora: Nicola Yoon.
Editora: Novo conceito (2016)  |  Adicione no Skoob!

 

Sabe quando um livro te toca de um jeito que, quando você o fecha tem a necessidade de abraça-lo e eternizar aquele momento? Bom, se você sabe vai me entender agora. Vou tentar ser sucinto.

Madeline é uma jovem que tem uma rara doença, a IDCG não permite que ela viva como todos os outros. Ela não pode ter contato nenhum com o mundo além das barreiras de sua casa. Ela é, definitivamente, alérgica ao mundo.
Como você se imaginaria na situação dela? Bom, M. é incrível! Mega inteligente, recebe aulas em casa (de arquitetura, inclusive), e ocupa maior parte do seu tempo ao lado de seus livros. Que ela não cansa de ler e reler todos.
Seu amor pelo pequeno príncipe, por exemplo, é imenso.

É assim que as coisas estão quando a casa ao lado recebe novos moradores, e é impossível que os olhos de Madeline não caia em Olly. Logo a garota se vê interessada, mas será que ela está apaixonada? Assim do nada?
Se ela pudesse sair de casa, talvez descobrisse.

Processed with VSCO with b5 preset

Ok, quando eu conheci o livro meu primeiro pensamento foi “preciso ler isso” e eu fui com uma expectativa enorme! Mas dessa vez eu não quebrei a cara. Eu admiro muito a autora por abordar uma situação tão complicada e ao mesmo tempo lidar muito bem, ela mostra muita propriedade no que diz.

Seus personagens são imensamente elaborados, é impossível não ver o crescimento da M. ao longo do livro e não se apaixonar pelo Olly. (Confesso inclusive que fiquei “ela já ta apaixonada? Como assim?”, mas se eu me apaixonei em 20  páginas, por que ela não pode sendo vizinha dele?).

Tudo e todas as coisas é uma história sobre a vida, sobre coisas simples e que você pode não dar valor, até ler o livro. Como é o ar da rua? Como é andar em uma calçada e ao mesmo tempo tentar não pisar nas linhas cruzadas? Como é ir à parques, museus, viajar?
Você responderia a essas questões com toda facilidade, mas M. não pode. Tirando Carla, sua enfermeira, e sua mãe, a garota não tem mais ninguém com quem interagir.
Tudo bem que Carla é fantástica, e uma amiga que eu mesmo gostaria de ter, mas é diferente, e você irá entender.

Leia Tudo e todas as coisas, se deixe viver e conhecer coisas novas. Deixe sue coração ser tocado. Você merece ❤

Atualização: Esqueci de dizer que o livro vai ser adaptado, logo logo veremos tudo e todas as coisas nas telonas, vamos surtar o/

Até logo,
XX, Vinícius Torres.

Entrevista com Roseli Magro, de Brilho do sol

Tudo bem gente? Voltei! (o semestre foi quase um sucesso, mas enfim).
Recentemente surgiu no mercado a editora Xeque Matte, e eles prometem muito pra 2017, uma das promessas é o livro da Roseli Magro e eu tive o prazer de entrevistá-la.

 

 

Mas antes das perguntas, conheça um pouco da autora: 

 Roseli Magro nasceu numa manhã junina em 1961, numa família numerosa, de irmãos contadores de histórias, de boa índole, onde formou seu caráter. É professora de Língua Portuguesa e Literatura há 25 anos. Mora em São Paulo desde que nasceu. É extremamente feliz por ser mãe de dois maravilhosos filhos, Arley França (autor de A Guerra dos Anjos) e André Rodrigues (empreendedor ímpar). Sempre gostou de ler e lia desde a adolescência para sua querida sobrinha, Aline. Desde que aprendeu a escrever, inventava histórias. Não tinha como ser diferente, pois sendo filha de Beatriz Gimenes Magro, um anjo encantado, que lhe fantasiava a cabeça com muitas histórias, com o tempo, a sua mente foi criando inúmeras narrativas. Os gêneros literários foram se diversificando para poemas, crônicas e contos. Até que nasceu Brilho do Sol, numa manhã de domingo, quando os anjos sopraram em seus ouvidos a história de João.

 

Entrevistar a autora foi bem legal, estou bem ansioso pro lançamento do livro e, pelo que já li pela internet, o livro promete!

*1* Roseli, você pode nos contar um pouco de onde e como surgiu a ideia do livro?
Eu conheço um projeto social que dá assistência ao povo nordestino e procuro também ajudar da forma que posso. Por volta de sessenta mil pessoas são assistidas por esse projeto. Infelizmente essa realidade está presente no nosso dia a dia e é impossível dormir em paz com tanta gente nessa miséria doída. Partiu daí esse menino João, como uma luz para essa gente maltratada e muitas vezes esquecida.
*2*  O que você quis passar com a história?
Eu quis amenizar um pouco a dor de viver do nordestino. Pensar que existe a fome e a maldade, mas que também existe o amor como forma de vida, deixa a dor mais suportável.
*3* Qual a sua intenção ao publicar um livro? O que você espera das pessoas com brilho do sol? Ansiosa?
Durante a minha vida toda, eu sabia que faria algo do tipo. Só não sabia que seria um livro. Ao longo da minha vida, fui formando essas ideias, acredito que inconscientemente, mas que brotaram todas de repente, numa manhã e em dois meses o livro foi escrito. Sei que algo mágico aconteceu.
Eu espero que as pessoas reflitam sobre o amor que temos e que é tão importante, pois é a partir dele que se pode viver com dignidade e mesmo que soframos a dor, seja ela de qual forma for, se tem amor, então não se tem de se preocupar. Tudo vai passar.
Eu estou muito ansiosa e que aconteça o que Deus permitir.
*4* Todo autor acaba deixando marcas em suas obras, “Brilho do sol” tem marcas suas também? Quão impactante a obra é pra Roseli como pessoa?
Brilho do Sol tem marcas minhas sim. Há uma personagem com o nome de Ana com características de minha mãezinha, que infelizmente não se encontra mais entre nós. A simplicidade dos personagens também tem muito a ver comigo. Sou muito simples, amo a simplicidade e amaria viver numa casinha branca no meio do mato, cheia de flores.
Eu chorei em várias passagens. Nelas, meu coração parecia que ia saltar pra fora do meu corpo de tanto que batia. Ainda não acredito que ela está aí em vias de lançamento. É muita emoção.
*5* Você é mãe do Arley França que também é autor. Como é isso? Além de escritora você gerou um, isso é demais!
Nossa! A emoção vem correndo solta em mim desde o dia que ele disse estar escrevendo um livro. Sempre fui apaixonada por Literatura e meu filho um escritor! Imagina minha emoção! “A guerra dos anjos” foi muito mais do que eu esperava dele. Fiquei muito impressionada com sua criatividade e muito feliz.
*6* Quando você decidiu que queria escrever um livro? Sempre foi um sonho?
Sempre gostei muito de escrever. Quando tinha uns dez anos, eu subia em cima da laje da minha casa e inventava minhas histórias, olhando o verde no entorno. Sempre gostei de escrever crônicas e poemas. Quem me incentivou muito foi muito filho Arley, que cresceu me vendo escrever e disse que chegou a hora de publicar meu livro. Então, como nasceu a história de João, eu vi que a hora tinha chegado realmente.
*7* Quais são suas referências? Seja de autores, pessoas, etc …
Minha família é minha referência, principalmente minha mãezinha que serviu de modelo como pessoa digna e cheia de amor. Amor esse que tento seguir dia a dia com meus filhos Arley e André. Sempre gostei muito de autores brasileiros como Jorge Amado, Raquel de Queiroz, Graciliano Ramos e poetas como Vinícius de Moraes, Drummond e o poeta português Fernando Pessoa, minha paixão.
*8* Por fim, pra você, Brilho do sol é …
Um caminho, uma luz pra quem sofre ter uma esperança de que tudo vai melhorar, pois a dor não é pra sempre se tem amor no coração.

Obrigado pela entrevista, e sucesso o/
Muito obrigada!

whatsapp-image-2016-12-13-at-14-25-47

Gente, o livro tá pra ser lançado pela Xeque Matte então não percam, sigam eles nas redes sociais para ficar por dentro desse e dos próximos lançamentos o/

E não esqueça de adicionar o livro à sua estante do Skoob!

 

Eu volto logo,
XX, Vinícius Torres.

Deixe a neve cair – É Natal o/

Deixe a neve cair é um livro de natal? Isso é verdade. Eu li no natal? Não.
Mas segundo o livro: “O espírito de Natal nunca morre”, não preciso dizer mais nada né?

Título: Deixe a neve cair.
Autora: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle.
Editora: Rocco (2013)  |  Adicione no Skoob!

 

Composto por três contos, acho que todos sabem que John Green está nele e boa parte dos leitores são convencidos a ler por conta disso. Eu também fui, quebrei a cara. As outras duas autoras, até então desconhecidas, se saíram MUITO melhores.

Não irei falar muito sobre cada conto, até mesmo porque são narrativas curtas, a magia de tudo é se entregar sem saber de nada. Sessão da tarde? Com certeza você vai lembrar disso na hora da leitura. Foi nostálgico mergulhar nas histórias, foi extremamente nostálgico!

O Expresso Jubileu, de Maureen Johnson foi o meu conto favorito, a autora fez um trabalho brilhante e abriu o livro com tudo! Eu amei a Jubileu e toda a narrativa da autora. A história ficará bem bonita na adaptação que vem por ai (espero), eu mal vejo a hora. Adorei o lance das casinhas também, fiquei triste quando acabou pois queria mais, Maureen tu arrasou ❤

O Milagre da torcida de natal, de John Green, é um caso sério. Gostaria de perguntar quem teve a ideia de juntar os três autores, porque não deu certo. John Green apresenta o segundo conto com sua velha narrativa (que nesse momento já está bem surrada) e com seus velhos personagens clichês (esse homem não muda?). A história ficou meio “não to entendendo” e várias vezes me perguntei o porquê dos personagens estarem tomando algumas atitudes. Em suma: São jovens que se arriscaram a irem na noite de Natal até um local onde tinha 14 animadoras de torcidas. Totalmente “???” Desculpa aí John Green, mas não rolou!

O santo padroeiro dos porcos, de Lauren Myracle pode ser definido com uma única palavra “okay”. Ele foi preciso, sem erros e com uma história bem legal. A escrita foi precisa e eu adorei os conflitos entre a personagem. E o porquinho? AI MEU DEUS QUE FOFURAAAA! AH! a autora também conseguiu fechar todos os outros contos, já que eles são ligados. Posso dizer então que esse não foi tão bom quanto o primeiro, mas bem melhor quanto o de John Green.

Eu simplesmente detesto fazer essas comparações, mas é meio inevitável quando se trata de livros de contos. Eu não consigo sequer propor uma solução aqui, mas quem organizou esse livro certamente não ligou pra muitos pontos que poderiam fazer desse, um belo livro.

Eu recomendo a leitura, mas vá com receio no conto do Green, diria para você não criar expectativas e apenas ir, ok? ok.

E você que já leu, me responde uma coisa: Qual a necessidade do homem alumínio nos três contos? Eu não entendi, juro!

XX, Vinícius Torres.

Dois contos pra ler no tempo livre!

Oi gente, quanto tempo não? Juro que estou voltando cheio de coisas legais 😀

Quem me conhece sabe o quanto eu gosto de contos, eu amo! Bom, a autora Ana Cristina ficou sabendo disso e me mandou dois contos da sua coletânea para que eu lesse, sem compromisso. Então eu li, surtei, e decidi indica-los para vocês 😀

1111

Título: Respeite o medo.
Autora: Ana Cristina Soares.
Editora: Chiado (2015)  |  Adicione no Skoob!

 

O primeiro conto foi Má companhia. Esse é um daqueles contos, intensos.

Conta-se sobre um homem multimilionário e uma pobre moça dependente de informações. Ela pode parecer inocente porém também tem seus conhecimentos. Acontece que o homem se deixa levar e começa a criar suspeitas pela mulher. O resto disso envolve uma cobra, um escritório, e um final surpreendente.

Eu adorei esse conto, durante toda a leitura eu fiquei reclamando mentalmente sobre as atitudes do personagem. Amei a reflexão que ele gera também, a autora soube trazer isso em poucas palavras, e é incrível!

 

O próximo foi Cecilia e a morte, e esse sim, foi o melhor!

Nesse conto vemos um outro lado, bem diferente do conto anterior. Cecilia é uma jovem que já escapou da morte por duas vezes, até que começou a trabalhar para a mesma. A jovem passa a salvar – ou não – vidas, e anotar recados, essas coisas. A morte é um mistério, e Cecilia quer desvendá-la, se é que isso é possível.

Como eu disse, esse foi o melhor dos dois. Eu amei como a morte foi retratada e todo o desenrolar da trama. Infelizmente não poderei falar muito para não ser encarado como spoiler e ser atacado (risos). Mas eu com certeza recomendo a leitura desse aqui!

 

A autora tem uma proposta, e com certeza ela sustenta isso. Os contos são bizarros! Me vejo imaginando essas situações, nem quero pensar! Adoro contos, e adorei esses! Estão recomodadíssimos!

Até a próxima, em breve.

 

 

 

 

Simon vs. a agenda homo sapiens – Becky Albertalli

Simon vs a agenda homo sapiens é, sem duvidas, o livro mais fofo que ja li na vida. Deixe-se encantar pelo livro de estréia de Becky Albertalli e leia a resenha 😀

ddd

Título: Simon vs. a agenda homo sapiens.

Autora: Becky Albertalli

Editora:  Intrínseca | Link para o Skoob ❤

 

Aviso: resenha diferente, provavelmente repleta de surtos meus!!!

Simon é um jovem gay de 16 anos, mas disso ninguém sabe porque não é uma coisa que ele sinta necessidade de contar. (ponto pro menino Simon).

Acontece que, no tumbrl da escola, um garoto faz um post anonimo em relação a isso e assim que Simon vê se identifica e decide mandar um e-mail sem esperança alguma para o garoto que se identifica como Blue. Acontece que Blue responde e logo os dois começam uma troca de e-mail super fofa e apaixonante.

Bom, Blue estuda na mesma escola de Simon, mas os dois preferem se manter anônimos. É assim que as coisas funcionam entre eles. Até que um garoto idiota da escola descobre sobre a troca de e-mails (vacilo do Simon) e começa a chantageá-lo por isso. Não que ele seja homofóbico, ele só ta querendo ficar com a amiga de Simon. Depois disso… Bom, é só fofura e fofura e uma trama extremamente deliciosa!

Processed with VSCO with hb2 preset

Foto de @vinicius_sst

Momento do surto: Simon vs a agenda homo sapiens é um livro com tudo pra ser mais um dentro das listas de “Livros estilo David Levithan que você precisa ler”, e acredite, eu fui com esse pensamento e ja fui logo achando que iria amar. Pois amo o David Levithan.

Mas acontece que a Becky superou tudo isso, ela foi além.

Esse é um livro fofo, repleto de surpresas e que sem duvida alguma fará você passar por bons momentos de diversão. Eu literalmente surtava a cada pagina que virava!

Simon é sem duvidas um dos melhores personagens já criados, eu amei ele de uma maneira surreal! (ai meu coração).

kjhg

Se você é jovem com certeza irá amar os seguintes fatos:

  • Eles usam Tumbrl (AHHHH)
  • Eles tem bom gosto pra música! 

Se você não é jovem, vai amar do mesmo jeito, relaxa. É quase impossivel não amar os personagens criados por Becky.

Assim que terminei o livro eu fiquei “ok, as pessoas precisam ler isso”, logo peguei meu celular e sai mandando mensagem pra muita gente! Ai gente, é perfeito!!!

 

 

Fato bacana (pra mim, pelo menos):  Assim que li o livro, pouco tempo depois uma pessoa maravilhosa me disse algo que soou como “hey, ela vem pra bienal!!”

A partir dai EU SURTEI. LITERALMENTE.

Eu consegui senha pra seção de autografos e isso significa que irei conhecer a Becky e autografar meu livro, AHHHHHHHHH!!!

Aliás, Simon vs a agenda homo Sapiens vai virar filme, dos mesmos produtores de A culpa é das estrelas e Cidades de papel. Ou seja: vem tiro por ai!

Além da adaptação, Becky já prometeu que vem mais livros no mesmo universo. Noticia que fez muita gente surtar! Estou agradecendo até agora.

Ah! Rezemos para que a intrínseca traga os livros bem rapidinho pra cá, amém!

 

Até a próxima, prometo recuperar o juízo até a próxima resenha! ❤

 

Lukas Graham -Conheça!

Lukas Graham é o nome do albúm que vou trazer pra vocês hoje, mas é também o nome do vocalista da banda. Você pode não conhecer o albúm, mas certamente já ouviu o hit “ 7 years”, acertei?

 

nnnnn

Assim como muitos, escutei essa música incrível nas rádios e logo quis saber quem era o dono dessa voz. Depois (com meu TOC) fui logo tratar de baixar o albúm e conferir todas as outras músicas.

Essa foi a melhor atitude que tomei no mês todo!

 

O albúm é um misto de sensações, as músicas podem até trazer uma melodia alegre, mas eu sempre sinto algo por trás. Possa ser que isso seja apenas coisa minha. Além disso temos a incrível voz do Lukas, ual!

Assim que viciei no albúm tratei de ir atrás de lives e tudo, logo veio a apresentação deles no billboard music awards, onde 7 years foi performada novamente. Também tem um cover bem bacana de “love yourself”, de Justin biber, no summertime ball 2016:

 

O albúm está com uma nota 75 no Metacritic! É um sucesso de vendas, só “7 years” já vendeu mais de 1,8 milhão de cópias, deixando hits como “love yourself” e até “work”, da Rihanna pra trás. 

Melhores faixas: Mama said, Happy home, funeral e Don`t you worry `bout me.

Escutem o albúm, permitam-se! Se você já conhecia a banda me conta aqui nos comentários, foi por 7 years também? Um hino é um hino afinal de contas né?!

Abraços!

Colorindo o invisível

Oi pessoal, tudo bem?

Eu esperei um bom tempo pra dizer, mas agora eu posso!

Então lá vai: EU ESCREVI UMA HISTÓRIA, T-O-D-I-N-H-A!!!

Eu ainda estou surtando, então surtem comigo! AHAHÁ

Bom, Colorindo o invisível surgiu do nada. E agora eu estou aqui falando pra vocês e estou MEGA feliz! Vou deixar vocês com a sinopse bem aqui ta?!

Tomás é só mais um jovem gay, mas isso não é uma coisa que realmente importe pra ele, o jovem vive com os tormentos da morte de sua amiga, Jess, que se suicidou no inverno passado. Tomás sabe que poderia ter evitado isso e a partir de então a culpa é algo muito presente em sua vida. Se ele não tivesse bebido naquela noite sua melhor amiga ainda estaria aqui com ele…
Então ele conhece Sam, o garoto que permite a Tomás que ele viva, eles descobrem que juntos podem colorir seus invisíveis. Mas Sam tem um segredo guardado e, quando revelado, tudo pode mudar.
Colorindo o invisível é uma história sobre a amizade, o amor, o perdão e acima de qualquer coisa, sobre a vida.

 

 

Colorindo.jpg

LINK PARA LER: AQUI!!! ❤

A playlist de Hayden- Michelle Falkoff

A playlist de Hayden é um livro envolvente e bem chiclete. Difícil de largar e capaz de agradar a vários tipos de leitores! Confira a resenha!!!

20160629_142520

Título: A Plalist de Hayden.
Autora: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito (2015)  | Adicione à sua estante do skoob clicando aqui!

Quem narra a história é Sam, o melhor – e único – amigo de Hayden. Os dois costumavam formar uma dupla de jovens excluídos. Costumavam, porque após uma festa Hayden decidiu se suicidar, deixando apenas um bilhete acompanhado de um pendrive para seu amigo onde dizia:

“Para Sam. Ouça. Você vai entender”

A partir de então Sam passa a ouvir as musicas deixadas pelo seu amigo, ao mesmo tempo que tenta lidar com a perda de seu amigo e seguir em frente. Em meio a isso ele continua se culpando pela morte de seu amigo, ele sente que deveria ter feito algo para evitar o que aconteceu e, ao surgimento de acontecimentos vingativos pela conhecida como “trifeta do bullying”, Sam passa a se questionar sobre quem pode estar cometendo essa série e duvida se pode ter sido ele mesmo.

20160629_142002

O livro tem uma premissa muito interessante não é mesmo? Ao ler a sinopse pude imaginar que seria um livro cheio de surpresas e acontecimentos, e não me decepcionei em relação a isso. Livros que trazem algo de musica com eles já tem um pedaço de mim! Eu realmente amo! O livro de estreia de Falkoff não só traz a música como elemento mas também como experiência de leitura, cada capitulo começa com o titulo de uma música. Então você pode ir acompanhando a playlist de Hayden junto com o Sam, mesmo que ele não dê muita bola pra isso (e nós vamos falar disso, agora).

Uma coisa que me incomodou um pouco no livro foi o fato de Sam simplesmente não ter a reação esperada sobre o acontecimento, o que você faria se seu melhor amigo se suicidasse e você acreditasse que tem culpa por isso? Bom, seja qual for sua resposta, Sam não fez isso. A partir da morte de Hayden ele vai em busca de novos amigos e até mesmo se apaixona, um romance bem desnecessário afinal de contas.

Dai você se pergunta, mas e a playlist?

A playlist tá lá, sempre no plano de fundo. Em alguns pontos da narrativa sabemos que Sam esta ouvindo e refletindo sobre, mas é tudo bem raso. Se meu amigo morresse e me deixasse uma playlist acompanhada de um bilhete eu iria devorá-la até que conseguisse entender a mensagem. ISSO É LOUCURA!

Além do mais, acho que em um livro que envolva mistério todos devem ser revelados no final, só sei que o livro termina e muitas coisas ficam abertas! Muitas coisas mesmo!!! (evitando spoilers, AI MEU DEUS). No processo de leitura eu fui criando várias e várias hipóteses para tudo, no final fui surpreendido… Porém varias das minhas outras perguntas não foram respondidas. Não sei se essa foi a intenção da autora, Falkoff ME CHAMA PRA UM CAFÉZINHO POR FAVOR!!!

A playlist de Hayden é meio que parecido com um bom filme de seção da tarde e, é inegável a sua qualidade, é um bom livro! Embora algumas coisas tenham me deixado zangado ele se tornou um dos meus livros favoritos!!! Gosto de livros assim.

(Sem mimimi de que pra um livro ser favorito ele tem que ser “perfeito” em tudo, por favor)

 

É isso gente! Espero que tenham gostado, se você já leu o livro comenta aqui em baixo e me diz o que você achou (principalmente do final, por favor), vou adorar saber sua opinião, mesmo!!!

Até a próxima!